Close

Vivência dos Votos

Irmã Odila, em oração diante do Santíssimo Sacramento.

Os Institutos Seculares comportam uma verdadeira e completa profissão dos conselhos evangélicos no século, ou seja, em meio ao mundo.

A vida consagrada é um chamado do Senhor àqueles que Ele escolhe para uma vida de maior participação na missão de Cristo, expressa na doação, na reserva da vida para as coisas de Deus.

Os membros de Institutos Seculares percebem no chamado que lhes é feito não um privilégio pessoal, mas uma missão divina, que os reenvia aos homens, seus irmãos. Vivenciam na simplicidade, os conselhos evangélicos. É na essência do espírito evangélico que os membros dos Institutos Seculares encontram sua forma secular de viver os votos.

A maior expressão do voto de obediência é a aceitação da vida, a participação no destino humano e a procura de manter viva a fé, a esperança, a alegria e a paz, em todas as situações e todos os acontecimentos da vida pessoal, reconhecendo, através de tudo, a presença oculta, a bondade infinita e o amor total de Deus como Pai, Salvador e Santificador.

A castidade consagrada é a resposta a uma vocação sobrenatural, a um dom gratuito de Deus, fundamentado na exigência total do amor

Pela vivência do voto de castidade não se fecham em si mesmos, mas voltados para os grandes problemas do mundo, têm o coração sensível e aberto aos sofrimentos e às necessidades dos que os rodeiam. Tem também presente a dimensão espiritual de sua vida consagrada, fazendo da vida um constante ato de louvor, de adoração, de ação de graças, reparação e súplica a Deus, com e por toda a humanidade.

O voto de pobreza é a disposição interior e a liberdade de espírito, que permite reconhecer que tudo que se tem é dom de Deus e leva a usar os bens que possui com gratidão, desprendimento e equilíbrio.

Pelo voto de pobreza estão submissos à lei comum do trabalho para o sustento próprio, na necessária independência financeira. Na competência profissional e na humanização do trabalho pela valorização da pessoa humana dão sua contribuição diária ao mundo e à Igreja.

Como fonte de vitalidade espiritual os membros buscam em Cristo e em Maria os modelos autênticos para a vivência da secularidade e da vida consagrada.

Vivem o carisma próprio de seu Instituto como resposta particular ao chamado do Espírito Santo. Unem-se aos demais participantes do ideal comum pelo elo da fraternidade e, reunidos em nome de Cristo, comungam no mesmo Senhor, para uma maior dedicação a Deus e aos irmãos.