Close

Instituto Secular "Servas de Jesus Sacerdorte"

FUNDAÇÃO

Entre os muitos Institutos Seculares existentes na Igreja está o Instituto Secular Servas de Jesus Sacerdote, fundado em 21 de junho de 1950, na cidade de Ribeirão Preto-SP, na festa do Sagrado Coração de Jesus e dia de São Luís Gonzaga, para ser um sinal permanente do amor de Deus entre os homens. Seu fundador é Padre Luiz Maria Fernandes, pertencente à Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo (Padres Estigmatinos). Padre Luiz alimentava o desejo de fundar um Instituto cujos membros pudessem colaborar com o clero através do trabalho humilde. Assim nascia o Instituto Servas de Jesus Sacerdote, Instituto de vida consagrada no mundo, segundo as normas estabelecidas pela Igreja para os Institutos Seculares.

Primeiras Servas: Helena dos Santos, Valquíria Barcelos, Anira Franco de Campos, Alzira Vilas Boas, Albertina Von Zuben, Geni Rangel, Catarina Palmieri.

Cronologia do Instituto

17/09/1951

Em 17 de setembro de 1951 o Instituto recebe aprovação como Pia União.

24/12/1954

Em 24 de dezembro de 1954, a Aprovação diocesana dos Estatutos por um quinquênio.

25/12/1955

Em 25 de dezembro de 1955 é feita a Consagração das Primeiras Servas.

16/05/1962

Em 16 de maio de 1962 se dá a Aprovação dos Estatutos pela Sagrada Congregação para os Religiosos, responsável pelos Institutos Seculares.

04/03/1963

Em 04 de março de 1963 acontece a aprovação como Instituto Secular pela Sagrada Congregação.

15/09/1963

Em 15 de setembro de 1963 há a Proclamação da “Aprovação” na Arquidiocese de Ribeirão Preto.

21/01/1964

Em 21 de janeiro de 1964 realiza-se a Primeira Assembleia Ordinária.

08/12/1974

Em 08 de dezembro de 1974 o Instituto recebe o Decreto de Louvor (Decretum Laudis), que é o reconhecimento pontifício pelo seu desenvolvimento qualitativo e numérico e pela sua difusão.

21/06/1979

Em 21 de junho de 1979 há a Aprovação definitiva das Constituições.

30/07/1979

Em 30 de julho de 1979 ocorre a morte do fundador.

30/07/1979

Em 30 de julho de 1979 ocorre a morte do fundador.

LEMA: “O amor a Cristo, Sacerdote Eterno”.

ESPIRITUALIDADE

O Instituto segue a espiritualidade de Cristo, Sacerdote Eterno, procurando estar a serviço da Igreja através de todo o clero. A Serva empenha-se no serviço generoso ao sacerdote, especialmente pela humildade, disponibilidade e simplicidade.

A vontade de Deus forma a ascese da Serva na sua disponibilidade evangélica com a Igreja: oblação com Cristo Sacerdote.

ORGANIZAÇÃO

O Instituto aceita como membros pessoas que desejam consagrar-se a Deus e está formado com membros que vivem “no próprio lar”, isto é, vivem com sua família e membros a “tempo pleno”, ou seja, assumem os trabalhos próprios do Instituto ou aqueles pelos quais o Instituto se responsabilizar.

É incluído ao Instituto o Grupo Colaborador “Opus in Auxilium” membros em sentido lato: sacerdotes, viúvas, casados, que vivem segundo um estatuto próprio, formando com os demais membros uma verdadeira fraternidade.

CARISMA

A Serva consagra sua vida para a santificação do clero e aumento das vocações sacerdotais, por meio da oração, do testemunho e da missão na Igreja. Faz com que os fiéis conheçam melhor e valorizem o sacerdócio ministerial e cooperem com os vocacionados (C. 4,c).

FILIAÇÃO

Geradas no coração de Jesus Sacerdote, Pe. Luiz Maria Fernandes Pisetta, nascido na Itália, e residente no Brasil, membro da Congregação dos Sagrados Estigmas de N. S. Jesus  Cristo, recebeu do Espírito Santo a missão de fundar o Instituto Secular Servas de Jesus Sacerdote.

IDENTIDADE

Consagrada Secular. A Serva vive a consagração secular, no seguimento de Cristo Sacerdote, está inserida no mundo, na própria condição social em que se encontra e nos diversos ambientes a serviço da Igreja e da sociedade através das atividades pastorais e profissionais.

FORMAÇÃO

A candidata passa por um período de formação humana, cristã e social, em preparação à consagração. Utiliza os subsídios próprios do Instituto, as Constituições e busca aprofundar-se na teologia em vista da formação permanente.